Primeira análise e apanhado de informações sobre Need for Speed

29 08 2008

A FirstLook da NFS Planet foi traduzida, vale a pena ler o texto todo

Introdução

Você já apareceu em capas de revistas, destruiu toda cidade tentando fugir da polícia, despencou no canyon, destruiu o seu carro… O que será que o décimo segundo título da franquia Need for Speed nos reserva?

Divulgação EA:

A Black Box, estúdio da Electronic Arts Inc. (Nasdaq: ERTS), anunciou hoje o Need for Speed TM Undercover , título de corrida de ação programado a ser lançado mundialmente em novembro. Need for Speed Undercover fará os jogadores correrem por vias expressas, despistando policiais e perseguindo rivais ao se infiltrarem em um grupo criminoso internacional. O novo jogo conta com a volta das intensas perseguições policiais e apresenta o novo mecanismo ‘Heroic Driving Engine’ – uma tecnologia exclusiva que gera movimentos incríveis de alto desempenho a 300 quilômetros por hora em disputas no asfalto de tirar o fôlego.

“Need for Speed Undercover o leva para dentro de um grande filme de Hollywood com todo o drama, ação e cenas de perseguição, diretamente de seu console de videogame. A exclusiva Heroic Driving Engine lhe dará controle total sobre os carros mais radicais e o fará usar cada pingo de habilidade que tiver para fugir da lei e derrubar os adversários criminosos”, disse o produtor executivo Bill Harrison.

Uma combinação de gráficos computadorizados estonteantes e cenas com atores reais colocará os jogadores no rico mundo de Tri-City Bay Area. O ambiente aberto da cidade apresenta mais de 120 quilômetros de ruas, incluindo um enorme sistema de rodovias que serve de cenário para batalhas no asfalto. Essas seqüências de perseguição em alta velocidade levarão os jogadores ao limite, ao lutarem contra policiais e criminosos enquanto se embrenham pelo tráfego a 300 quilômetros por hora.

Um novo sistema de inteligência artificial proporciona, ao dirigir, uma experiência realista e empolgante. Voltando às raízes da série, Need for Speed Undercover conta com policiais mais agressivos e inteligentes, cujo único propósito é capturar o jogador rapidamente e por qualquer meio que se faça necessário. Need for Speed Undercover também conta com a personalização de carros ligados à série, danos e sensação de direção realistas. O jogo inclui alguns dos mais velozes carros licenciados, como o Audi R8, BMW M6 e Lexus IS-F.

Need for Speed Undercover está sendo desenvolvido pela Black Box em Vancouver, B.C., Canadá, e estará nas lojas do Brasil no mês de Novembro.

O jogo estará disponível para os consoles Xbox 360™, PLAYSTATION®3 e Wii™, bem como para o PlayStation ®2, para os portáteis Nintendo DS™ e PSP® (PlayStation® Portable), para o PC e para celulares. Lançamento dia 18 de Novembro nos EUA e 21 na Europa;

Primeiras Impressões por NFSPlanet

Speedhunters.com

Antes da apresentação de Need for Speed Undercover começar, o produtor John Doyle da EA Black Box apresenta um projeto mais recente: este ano os desenvolvedor de Vancouver criaram o site Speedhunters.com, que dá uma visão geral dos acontecimentos do mundo motorizado, com foco eventos característicos de NFS. Entre blogs de motoristas conhecidos você pode encontrar coisas como galerias, vídeos, e coberturas de eventos particulares e mais. Eles não se fixam em detalhes como a pressão dos pneus, fixam em coisas para pessoas comuns entenderem e dão uma visão geral dos acontecimentos. Então, todos que procuram tuning ingame ou imagens e vídeos cheios de ação devem dar uma breve olhada.

Most Wanted 2

Quando os participantes deram a primeira olhada no jogo, as impressões foram unânimes: É o Most Wanted 2. O posicionamento da câmera, a integração do automóvel com o ambiente e a experiência de condução trouxe de volta algumas memórias bem conhecidas. O sensação de simulação de ProStreet se foi. Com o HUD, era quase do mesmo jeito: infrações como Custo para o Estado ou Má Condução, pausas de perseguição no mini-mapa – tudo está de volta.

No jogo passado você estava procurando competições nas ruas do mundo de NFS. Em vez de corridas, agora você irá encontrar missões lá. Na maior parte, introduzidas por gráficos ingame. Por exemplo, um trabalho para roubar um Porsche na concessionária. Você está assistindo o cenário em terceira pessoa, quando vê o carro quebra a vitrine. Depois disso, a câmera move-se suavemente para a direita atrás do carro e o show começa. Um alarme toca e você corre da polícia. Vamos ativar o speedbreak (somente pode ser usado algumas vezes e não há recarregamento) para esquivar dos carros da polícia que estão chegando. Depois de uma curta perseguição usando as “pausas de perseguição” como seguimentos de pontes ou andaimes para dizimar os carros da polícia, você alcançou o objetivo e pode ir para a garagem. Mas eu não vi nenhuma loja de Donut do MW durante o caminho.

Ao longo da perseguição, obviamente seu carro não poderia sair sem arranhões e foi deformado de acordo com o modelo de danos de ProStreet. Entretanto, em Undercover seu carro receberá somente danos visuais. Então se alguém está se aproximando de um pilar, ele não reconhecerá seu carro nunca mais, mas, ele pode dirigir sem nenhum prejuízo.

Uma grande coisa que observei foi a melhoria da IA dos policiais e do tráfego. O tráfego tenta movimentar-se com velocidade adequada – “tenta” quer dizer que eles não podem evitar completamente os acidentes entre si, mas isto poderia estar relacionado com uma versão muito prematura do jogo. Perseguições serão mais realistas. Para especificar um mau exemplo: a última missão de Most Wanted, onde você deve sobreviver por 20 minutos com um batalhão de corvettes na cola, que foram feitas para recuar a mais de 120 mph. Essas coisas devem ser excluídas em Undercover. Perseguições não durarão mais de 6 minutos (desde que você não queira) e com ela, o número e comportamentos dos policiais é adaptado também. Eu não vi nenhum carro girando a metros de altura como resultado de uma batida. Então a interação com “BOTs” é mais realista, devido ao modelo de danos e as melhorias no design da câmera.

Highway Battle e Outras Inovações:

Highway Battle é um novo modo de jogo em Undercover. Basicamente, é uma mistira do modo “outrun” do Underground 2 com o modo drag dos jogos passados. O objetivo de Highway Battle é semelhante ao das corridas no Canyon de Carbon, parece algum tipo de batalha com os “chefões” pela vitória na auto-estrada. O começo é lado a lado ou consecutivo, e aquele que liderar por certa distância ou espaço de tempo ganhará. O tráfego pode transformar o desequilibrar, visto que você pode usá-lo para bloquear seu oponente. Aparentemente o tráfego é aleatório, ao contrário do modo drag em Underground. Isto significa que o progresso da corrida é consideravelmente diferente. Portanto, na primeira tentativa seu rival pode ir longe, sem chance para você, porque encontrou a melhor rota através do tráfego. Na próxima vez provavelmente ele baterá contra o primeiro caminhão que aparecer. Os movimentos dos seus oponentes não são fixos, eles se adaptam durante a corrida. Então imagine bater constantemente no carro dele, prepare-se para retaliações.

A inexistência do retrovisor, que não aparece em nenhum jogo, faz esse tipo de corrida ser particularmente interessante. Então a pergunta é: “Eu posso correr o risco de olhar para trás mais uma vez? Eu posso desviar do tráfego em tempo?” Para Highway Battle este é um conceito para tirar vantagem. Eu achei, na maioria dos casos, a barra no topo chata, mas eu estou curioso para saber que tipo de reação os desenvolvedores vão receber da comunidade.

Além de Highway Battle, há outro modo de corrida no jogo – dois outros se foram, drag e drift, para ser preciso. Como se fossem em Most Wanted, ambos os modos não se enquadram, no conceito desse jogo. Quanto ao recurso replay nenhuma surpresa: está desaparecido desde Underground e continuará mais uma vez. Devido ao mundo aberto, teoricamente com infinitas perseguições, e aos recursos da hogging physics engine, é impossível para os desenvolvedores colocar esse recurso.

Eu não posso dizer nada sobre tunning, porque eu não pude ver essa parte. O número de bodykits e peças assim como as possibilidades do autosculpt devem ser semelhantes ao ProStreet, provavelmente com algumas melhorias. Além disso, os desenvolvedores melhoraram os menus. O menu de pausa está organizado de uma forma mais clara e devido à transparência você pode ver a corrida. Você poderá tunar o seu carro por esse menu e aplicar as mudanças sem voltar para o menu principal.

Os modos online estão começando a ser planejados, portanto ninguém pode falar nada sobre isso. Como será o multiplayer ainda é um mistério.

C. S. I. Miami

O “mundo” de Undercover está no golfo dos Estados Unidos e pode ser dividido em quatro regiões. As pistas de ProStreet eram reais, em Undercover a paisagem de Tri-City é totalmente fictícia. Eu estava jogando em Sunset Hills, um bairro com estradas sinuosas e caminhos com brita, após cheguei a ilha Palm Harbor. As duas regiões restantes são Port Crescent (industrial?) e Gold Coast Mountains, onde alguns bons canyons estão nos esperando. Portanto tudo isso parece uma mistura de Underground, Most Wanted e Carbon. A propósito, uma volta no mapa pela auto-estrada, levará pelo menos oito minutos.

Nas primeiras cenas, nós vimos um Porsche ao longo duma auto-estrada interestadual, próxima ao mar, enquanto a metrópole e o céu aparecem no horizonte. Essa parte do mundo fez-me lembra de C. S. I. Miami – somente Horatio Caine com seu óculos de sol estava faltando. A paisagem com uma coloração laranja brilhante usando post processing, ao contrário de Underground com seu toque azul. O sol é a última coisa para completar a atmosfera. O cenário é matinal, os carros estão espetacularmente iluminados com a incidência da luz. Os efeitos de Blending e lens flare são surpreendentes – os desenvolvedores chamam esta combinação de “hora mágica”, que é também utilizada na indústria cinematográfica.

Portanto não haverá mudança na luz do dia novamente, mas foi elaborado desde o nascer do sol. Mas se alguém viu a poça de água na auto-estrada do primeiro trailer, não está errado. Como os efeitos climáticos funcionarão, eu não pude ver. As melhorias gráficas são visíveis, Undercover tem muito mais do que o realista e neutro ProStreet.

Música e Som

Eu pessoal, acho perfeitamente compreensível por que Need for Speed ganhou tantos prêmios (AIAS) pelo design de som no passado. No entanto, EA Black Box não descansa sobre o título, mas aumenta seus esforços na produção sonora do jogo. Não só a filmagem de Undercover teve ajuda de Hollywood, como também a parte musical, que foi criada com ajuda de Paul Haslinger, compositor para filmes como Underworld e Minority Report ou para o seriado de TV Sleeper Cell.

Como em Most Wanted, a música de fundo é organizada de acordo com a situação. Para permitir uma maior distinção entre os diferentes tipos de corrida, você estará somente ouvindo certo tipo de música para cada modalidade – Highway Battle, por exemplo, contém ritmo de percussão intenso e propulsor. Como de costume, haverá muitas músicas licenciadas de diferentes artistas, mas somente algumas serão usadas nas situações ingame. Por exemplo, em uma seqüência de prisão ouvimos Nine Inch Nails. Então é muito importante apoiar determinados acontecimentos durante a corrida, conseguindo um perfeito equilíbrio entre o som do motor e a música. É por isso que não haverá a opção de importar suas próprias músicas, porque é muito difícil integrar de forma correta os arquivos que você tem com o que se passa.

A rádio da polícia também está renovada. Será possível notar a polícia se comunicando durante a perseguição, bem como a diferença entre policiais comuns e os experientes agentes do FBI.
A gravação de som para Undercover demorou cinco semanas gastas em estúdio e em estradas fechadas. O método convencional para perceber diferentes rotações e carros, mexendo num sintonizador como em Test Drive Unlimited não é usada pela Black Box. Ao invés disso, o tema será “áudio segue física” e se comportando de acordo com a física do carro sem necessidade de algo falso, como os desenvolvedores disseram.

Em geral, estou muito impressionado com a qualidade do som que o jogo proporciona. Especialmente a diferença perceptível entre a metade e o máximo dos giros, como é ouvido nos motores de verdade. Só tenho pena da maioria dos jogadores, como os de PC, que não poderão desfrutar desses efeitos sonoros, uma vez que é obvia a necessidade de hardware adequado.

Heroic Driving

A nova física de direção é, na minha opinião, a coisa mais surpreendente em Undercover. O objetivo era criar um jogo de ação com carros, cuja jogabilidade está em algum lugar entre arcade e simulação. Eu gostaria de ver a jogabilidade de Most Wanted e Carbon, com um pouco de simulação de ProStreet. Não obstante, a física foi criada do zero, e os desenvolvedores a chamaram de “Heroic Driving Engine”. Isto inclui um incrível controle sobre o carro e a precisa reação aos comandos. Estamos novamente com um Porsche para um Test Drive. Você sempre tem a sensação de controle total do carro e as reações do veículo foram maravilhosas. Cada toque, cada giro no volante e cada toque no acelerador é visível no jogo e o Porsche reage de acordo com a intensidade que pressionamos o acelerador ou viramos o volante, obviamente com um joystick bastante diferenciado.

Embora seja possível acelerar o carro suavemente, a resposta do motor é muito mais intensa quando pressionamos o acelerador no limite. O motor ronca, você inclina o corpo para trás, o carro treme e a câmera move-se levemente para baixo, sem parecer irreal, exagerado ou qualquer coisa do tipo. É possível usar o freio e a direção com muita precisão. Permitindo que você faça manobras mais difíceis, como 180, 360 ou ziguezague no tráfego da auto-estrada. Parece que o carro sabe antes do jogador qual é sua intenção. Nunca tive essa experiência com a série Need for Speed ainda – comparando com Undercover, a resposta dos comandos aos antecessores parece lenta.
Não é fácil fazer o Porsche driftar, porque ao contrário de Carbon, o carro não gira sobre si mesmo. Mas com alguma prática e o veículo certo (não foi possível testar um muscle) o problema será resolvido.

A câmera mudou também. Independente da manobra que fizer, a câmera sempre destaca o carro, com o lema “o carro é a estrela”. Neste contexto, a câmera se move de forma harmoniosa e natural, e eu não vi nenhum efeito exagerado, como zoom ao usar nitro.

A combinação da nova física, com a câmera e com as melhorias no som parecem, para mim, com algo realista e natural. Você precisará de algum tempo para se acostumar com a nova forma de dirigir, mas uma vez que você se adapta a ela, não vai querer perde-la.

Conclusão

“De volta as raízes”, alguns disseram. A “raiz” é bastante recente e se chama Most Wanted! Se alguma vez veremos um Need for Speed no estilo da época pré-Underground, está escrito nas estrelas. Mas isso não importa, eu passei um tempo com Undercover. EA Black Box sempre procura implementar melhorias nos Need for Speeds, para justificar a compra do jogo. Portanto, isso acontece com Undercover. As únicas coisas que eu estou me questionando são a qualidade da parte multiplayer e a motivação para completar o modo carreira.

Traduzido por Bin_csbr. Caso copiem, peço que mantenham os créditos.

Entrevista com o produtor Scott Nielsen feita pela WorthPlaying

WP: Se tivesse que dizer a essência do jogo, como você a descreveria?

SC: Em NFSUC, você desempenha o papel de um policial disfarçado, você é recrutado para se infiltrar num mundo ilícito.

WP: Muita gente pensa de NFS como um simples jogo de corrida. Com Undercover, vocês irão expandir esse conceito. Existe algum receio de que isso irá afastar os fãs da franquia?

SC: O que fazemos é construir entretenimento, e a cada ano temos idéias diferentes. Nós gostamos de pensar que estamos fazendo um jogo de ação. Portanto não será um simulador, nem um arcade como Mario Kart. As bases (de Undercover) estão em Hot Pursuit, com uma jogabilidade atraente. Com uma grande “Open-World” experiência, que representa o melhor do passado, nós estamos animados com Undercover.

WP: Vamos falar de novos recursos. O que veremos de novo em Undercover?

SC: NFSUC tem tudo a ver com perseguição, perseguir e ser perseguido, isto representa a forma como fizemos o jogo. Este elemento ou conceito de perseguição vem de três formas: condução heróica, “highway battles” e nosso lado infiltrado.

Em termos de condução heróica, temos mais de 430 alavancas (???) diferentes, para brincar com a realidade. Quando você vê as coisas que os carros dos filmes de Hollywood fazem, coisas que são impossíveis de fazer no dia-a-dia, é isso que queremos recriar no jogo. Queremos que todos possam se sentir como heróis, e temos uma engine que nos permite fazer isso. Essa engine também se estende no sistema de danos, na inteligência artificial, no modo como você interage com os policias, como a IA corre contra você. Tudo isso vem para te fazer sentir como um herói.

“Highway Battles” é uma inovação na jogabilidade. São muito, muito intensas e emocionantes. Você tem a chance de pilotar a 150 milhas por hora, “podando” carros. É uma experiência que você tem que sentir.

WP: No passado, vimos um certo número de carros. Vocês tem Audis, American Muscles, carros americanos, japoneses e europeus. O que você pode nos dizer sobre os carros selecionados?

SC: É um pouco cedo para eu falar da lista de carros. Esforçamos-nos bastante. Nós ainda estamos obtendo algumas licenças. Uma dica: você pode esperar um padrão semelhante com os títulos anteriores. Você falou sobre alguns deles, como American Muscles, os Tunados Japoneses e os Exóticos Europeus. Temos uma mistura de carros antigos e algumas novidades especiais.

WP: Podemos saber algo sobre o modo multiplayer?

SC: Novamente tocaram num assunto no qual não posso falar. Hoje falaremos sobre o modo de condução, o lado infiltrado e as inovações. Provavelmente daqui a um mês, vamos entrar em detalhes sobre esse modo.

WP: Vamos falar da história. Por que Maggie Q? O que fez com que ela se ajustasse ao papel?

SC: Uma coisa que melhoramos foi o lado interativo. Melhoramos a história. Para igualar com o que estamos fazendo no lado interativo, chamamos os especialistas de Hollywood para contar a história. Temos um elenco de Hollywood, uma equipe de Hollywood e um diretor de Hollywood.

Maggie Q é uma grande atriz. Ela desempenha o papel de Chase Linh, que é sua única ligação com o mundo exterior. Ela vai colocá-lo em problemas, ela vai tirá-lo de problemas. Ela dirá quem é quem.

Observação pessoal: O mapa do game também já foi liberado, para aqueles que quiserem ver está aqui:

Pode parecer meio “pequeno” mas como a maioria já sabe: na teoria é uma coisa, na prática é outra…É esperar pra ver…

Quem vai ficar doido com isso é o Tony Black que aliás faz tempo que não entra no MSN, onde será que este ser mal evoluído foi? huahuahahauhauha

Anúncios

Ações

Information

3 responses

1 10 2008
tiago

quando fica sem corrida fazemos o que

2 10 2008
Pєบ

Dá a bunda!

26 10 2008
Gabriel

Notei q uma parte da cidade parece a cidade do Carbon e a outra parece a cidade do Most Wanted

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: